Selecione o Estado
Selecione a Categoria
Brasil, Segunda 26 de Junho de 2017
Proteste afirma que lançamento do 4G no Brasil é "propaganda enganosa"
Data: 30/04/2013

Operadoras vendem aparelhos de R$ 2 mil que se tornarão incompatíveis com o sistema no próximo ano, além de planos que não devem entregar a velocidade contratada, diz a organização.


Se você está ansioso para entrar de cabeça na tecnologia 4G, é melhor ter paciência. A Associação de consumidores Proteste, em conjunto com a Associação dos Engenheiros de Telecomunicações (AET), enviou um oficio à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em que questiona a introdução do sistema 4G na rede de internet móvel brasileira.
 
Para a entidade, a Anatel não deveria autorizar a comercialização de planos que se dizem 4G, mas que contam com uma cobertura restrita. De acordo com o órgão, o lançamento do 4G no Brasil pode ser considerado como propaganda enganosa, pois alguns aparelhos e planos mais caros acabarão operando em uma frequência que deveria ser destinada apenas ao 3G.
 
“Ou seja, depois de assinar o contrato de fidelidade com a operadora e se dar conta da limitação, o consumidor que precisa transmitir e receber grande quantidade de dados se sentirá enganado”, diz Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da Proteste.
 
A frequência com mais abrangência é a de 700 MHz, que ainda tem as regras para a operação em discussão por meio de consulta pública. Ou seja: gadgets que não operarem em 2,5 GHz (banda adequada ao 4G) vão funcionar na rede 3G até que a rede de 700 MHz seja implantada.
 
Mas as complicações não param por aí: existem aparelhos sendo vendidos como compatíveis com o 4G, mas que não operam na frequência de 700 MHz e, nestes casos, a dor de cabeça seria maior ainda. Assim que a nova rede entrar em operação, o consumidor vai precisar trocar novamente de smartphone, arcando com o custo de dois aparelhos – possivelmente, ambos com um preço bastante salgado.
 
Com tudo isso, a Proteste ressalta que não é aconselhável investir em uma tecnologia cara, compatível com poucos aparelhos e que ainda está disponível em poucas regiões de algumas cidades.
 
Muitas dúvidas, poucas soluções
Há ainda muitas dúvidas em relação às faixas de frequência em que o serviço deve funcionar, mas as operadoras não perderam tempo e já iniciaram as vendas de planos de olho no Dia das Mães. Como o 4G inicialmente funcionará na frequência de 2,5 GHz – que conta com baixo desempenho em locais fechados – será necessário utilizar outras faixas de frequência destinadas ao 3G e ao 3G Plus para que se obtenham as velocidades prometidas.
 
Proteste afirma que lançamento do 4G no Brasil é
Além disso, as associações ainda pedem que a Anatel informe em quais cidades estão instaladas as antenas capazes de funcionar como infraestrutura com suporte para o 4G. Pelo cronograma previamente definido pela própria Anatel, as operadoras teriam até amanhã (30/04) para colocar em operação as redes 4G nas seis cidades que vão sediar a Copa das Confederações no mês de junho.
 
A Proteste constatou ainda que existem apenas 11 modelos de smartphone homologados pela Anatel que operam na frequência de 700 MHz, no entanto, as operadoras estariam vendendo smartphones com preços superiores a R$ 1.800 como sendo compatíveis com a nova tecnologia, mas que não operam nas frequências de 2,5 GHz ou 700 MHz.
 
A Proteste ainda alerta a Anatel para a necessidade de orientar aos consumidores a respeito das características dos aparelhos e sua adequação a diferentes frequências, já que é grande o risco de se adquirir um smartphone de alto custo e ter que trocar o aparelho em um curto espaço de tempo, pois ele não poderá ser usado na frequência de 700 MHz, a ser leiloada no próximo ano.
 
voltar
Selecione o Estado e a Categoria que deseja visualizar
Acre
Alagoas
Amapá
Amazonas
Bahia
Ceará
Distrito Federal
Espirito Santo
Goiás
Maranhão
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minhas Gerais
Pará
Paraíba
Paraná
Pernambuco
Piauí
Rio de Janeiro
Rio Grande do Norte
Rio Grande do Sul
Rondônia
Rorâima
Santa Catarina
São Paulo
Sergipe
Tocantins